'Sussurros... ' Foto: Arquivo Finos Trapos 

Sussurros... (2004)

 

O início da aventura cênico-dramatúrgica do Finos Trapos está relacionada à pesquisa de um experimento cênico que pouco tem a ver com a estética na qual se enveredou nos trabalhos posteriores. A primeira realização cênica foi “O Cárcere”, experimento exibido no ano de 2003, em Vitória da Conquista, em razão de uma das edições do “Assim se Improvisa”, Projeto idealizado pelo dançarino e coreógrafo Chefinho Santos, e promovido junto ao Grupo Pafatac de Teatro. Ainda que este não tenha sido o primeiro projeto de encenação dos jovens artistas, vez que intentavam a montagem de um espetáculo popular inspirado na Literatura de Cordel, no que diz respeito à temática e à estética, “O Cárcere” foi o embrião do que mais tarde viria ser o primeiro espetáculo de repertório concretizado pelo Grupo: “Sussurros...”.

“Sussurros...” narra cinco histórias paralelas que versam sobre os desassossegos d'alma que agonizam na selva da cidade. Explorava uma linguagem corporal baseada no teatro físico e uma dramaturgia que prezava pelo tom tragicômico. Utilizava-se de quadros fragmentados, cada qual abordando a vida de personagens dilacerados pelas relações familiares. Estreou em maio de 2004, no Teatro Vila Velha; depois realizou temporada em novembro do mesmo ano no Teatro Carlos Jehovah em Vitória da Conquista, inaugurando o que viria a ser uma dinâmica frequente na vida do grupo: a atuação na cidade de origem dos membros e na capital baiana. Em 2005 recebeu o Prêmio de Circulação da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb) e realizou temporadas no Teatro Dona Canô (Santo Amaro) e no Teatro Xisto (Salvador). Em 2006 foi vencedor do Prêmio de melhor cenário no Festival Ipitanga de Teatro (Lauro de Freitas). Logo após este período, a partir das novas inquietações poéticas pelas quais o grupo enveredara o espetáculo “Sussurros...” encerrou sua trajetória, não voltando mais a cartaz.

Os envolvidos no processo afirmam que “Sussurros...” refletira um momento de transição dos jovens artistas, recém-chegados à cidade grande e confrontados com a ‘selva de pedra’ da metrópole soteropolitana. Em síntese, o que foi preservado desse processo criativo e que se tornou uma marca da dramaturgia do Finos Trapos foi a utilização do elemento autobiográfico como disparador criativo.

 

Sussurros... Teatro Vila Velha (2004) Foto: Arquivo Finos Trapos

 

Camarim - Vitória da Conquista / Novembro de 2004 - Foto: Roberto de Abreu

 

 

 

 

 

Fina Agenda Resumida

Blog